Economia e Mercado

O metro quadrado mais caro do mundo

Trouxemos o ranking das cidades com o maior valor por metro quadrado, para exemplificar as diversas razões da valorização de certos imóveis, desde a demanda e a localização até o projeto arquitetônico

 

Você já se perguntou onde fica o metro quadrado mais caro do mundo? E do Brasil? Esse é um valor que pode variar muito, dependendo do local e do momento econômico de cada país, mas segundo pesquisa de Savills divulgada pela revista Forbes, os imóveis mais caros atualmente se encontram na cidade de Hong Kong, na China – com propriedades de altíssimo padrão, cujo metro quadrado pode ser vendido por até 122 mil dólares.

Independentemente das oscilações da economia mundial, listamos as cidades que hoje estão no ranking das que os clientes mais valorizam por sua localização privilegiada.

 

As cidades mais caras do mundo

 

  1. Hong Kong, China

Com o mercado imobiliário mais caro do mundo por vários anos consecutivos, a cidade de Hong Kong tem um preço médio por metro quadrado de 45 mil dólares. No entanto, para imóveis de luxo, esse valor pode chegar a mais 122 mil dólares. As moradias de alto padrão na cidade possuem tamanho médio de 480 m².

Um dos motivos da alta nos valores de imóveis em Hong Kong está relacionado à procura e demanda. A cidade é a quarta mais densamente povoada do mundo, com mais de 7 milhões de habitantes espalhados em apenas 1.100 quilômetros quadrados. Além disso, há poucos terrenos passíveis de incorporação na cidade, já que as áreas habitáveis se encontram literalmente entre o mar e as montanhas.

Um dos polos financeiros emergentes do mundo, Hong Kong se tornou uma cidade atrativa não somente para trabalhar, mas para viver com conforto e sofisticação. No ano retrasado, uma mansão chegou a ser vendida por 360 milhões de dólares. Já no ano passado, o imóvel mais caro a ser negociado custava 178 milhões, mas também há mansões à venda na cidade por até 445 milhões de dólares.

 

  1. Tóquio, Japão

Com propriedades luxuosas e modernas, o mercado imobiliário japonês tem crescido muito nos últimos anos, seja para moradia ou investimento. O preço médio do metro quadrado em Tóquio sai por cerca de 80 mil dólares. O tamanho das moradias de alto padrão surpreende, ficando em torno de 1.480 m².

Os principais atrativos de Tóquio são a economia efervescente, uma das mais prósperas do mundo, e o alto desenvolvimento tecnológico. O perfil de compradores de imóveis de luxo abrange tanto a população local quando estrangeiros – de outros países da Ásia, além da Europa e Américas. A maioria dos novos empreendimentos (comerciais ou residenciais) está localizada no centro da cidade.

Outro incentivo para os futuros proprietários de imóveis está no fato de que diversas empresas multinacionais estão sediadas na capital do Japão. O setor de turismo também está em ascensão, com expectativa de receber até 40 milhões de visitantes no próximo ano. Além da cultura, o país tem uma qualidade de vida invejável, paisagens naturais encantadoras e vibrante vida urbana.

Uma curiosidade sobre o segmento imobiliário japonês é o desejo dos compradores de permanecerem na anonimidade. Em geral, propriedades de mais de 10 milhões de dólares não são divulgadas abertamente no mercado. Trata-se de uma questão cultural, já que no país considera-se ter muitas posses – mesmo para quem é muito rico – como uma espécie de símbolo negativo de status.

No entanto, com a chegada de uma nova geração de empreendedores, principalmente do mercado tecnológico, essa visão está mudando um pouco. Os jovens compradores, hoje, buscam imóveis confortáveis e de alta tecnologia. Trata-se de um público que não procura por casas gigantescas, mas localizações privilegiadas – próximas às melhores opções de comércio, gastronomia, lazer e entretenimento.

 

  1. Mônaco

Conhecida por suas belas paisagens e estilo de vida luxuoso, a cidade-estado de Mônaco apresenta um valor médio por metro quadrado de 62,5 mil dólares, para imóveis residenciais. Esse é um dos principais destinos de compradores europeus de alto padrão, que buscam por propriedades sofisticadas e bem localizadas, com vista para o mar.

A qualidade de vida oferecida aos moradores da cidade, além da segurança e da variedade de serviços no segmento de luxo tornam Mônaco um dos lugares da Europa mais cobiçados para se morar. Com aproximadamente 1,9 quilômetros quadrados, o território possui uma quantidade limitada de áreas que podem ser utilizadas para habitação, o que aumenta sua valorização.

Por muito tempo, os estrangeiros que mais procuravam moradia na região eram franceses e italianos. No entanto, na última década a cidade tem chamado a atenção de compradores russos, norte-americanos, africanos e asiáticos. Esses investidores buscam Mônaco não apenas por suas condições favoráveis de vida, mas também pelo vantajoso sistema de impostos e pela credibilidade do mercado imobiliário local.

 

  1. Londres, Inglaterra

Em Londres, o metro quadrado do imóvel de luxo pode custar entre 30 e 60 mil dólares. Não apenas a cidade é extremamente atrativa para turistas, com suas lojas de grife e monumentos históricos (entre eles o Big Ben, London Eye, Tower Bridge e Buckingham Palace), como também é a capital financeira do mundo. Seus mercados abrangem tanto os fuso-horários ocidentais quanto orientais, o que permite agilidade nas negociações.

A cidade também é um polo de grandes empresas; o que, por sua vez, atrai algumas das pessoas mais ricas do planeta. Londres também é o lugar perfeito para iniciar novos empreendimentos, devido ao número de pessoas que circulam anualmente por suas ruas.

Contudo, a capital não é interessante somente para trabalhar, mas também para morar. Com uma arquitetura ao mesmo tempo histórica e contemporânea, rica variedade de opções culturais e um lifestyle desejado principalmente por jovens e bem-sucedidos profissionais, Londres deve permanecer na lista das cidades mais desejadas – e caras – do mundo por muito tempo.

 

  1. Paris, França

A capital francesa é também a cidade mais populosa do país. Considerada um destino romântico e charmoso, a “cidade das luzes” recebe em torno de 13 milhões de turistas por ano. O fluxo de visitantes gera oportunidades de negócios. Atualmente, cerca de 2,5 milhões de pessoas vivem nas áreas urbanas de Paris e mais 12 milhões na região periférica.

O metro quadrado médio dos imóveis de alto padrão na cidade fica entre 21 e 48 mil dólares. Essas propriedades têm tamanho médio de 1.000 m², abrangendo desde apartamentos aconchegantes a mansões centenárias. Uma das casas mais caras à venda na cidade, propriedade de uma família herdeira da dinastia francesa, chegou a ser oferecida no mercado por 280 milhões de dólares.

 

  1. Nova York, Estados Unidos

Na badalada Nova York, os valores por metro quadrado para imóveis residenciais ficam em torno de 45 mil dólares. As opções variam de casas charmosas no Brooklyn a apartamentos descolados em Manhattan. Entre as regiões mais ricas da cidade, destacam-se Upper East Side e Carnegie Hill. Também são muito procurados os bairros de Soho, Tribeca, Civic Center e Little Italy.

Um dos motivos pelos quais os imóveis são mais caros na cidade se deve ao preço dos alugueis, já que existe uma quantidade limitada de espaço para uma demanda enorme de pessoas. Enquanto no estado vizinho a média para locação de um apartamento de apenas um quarto é de aproximadamente 1,3 mil dólares por mês, na “Big Apple” esse número chega a 3,6 mil. Entre os exemplos de imóveis mais caros em Nova York está uma cobertura de 110 milhões de dólares.

 

  1. Moscou, Rússia

Na capital russa, o preço do metro quadrado no mercado imobiliário de luxo é de aproximadamente 47 mil dólares. A cidade, que já foi destruída e reconstruída várias vezes, tornou-se um importante centro econômico, político e científico, além de um destino sempre muito atrativo para a aristocracia.

A qualidade das casas de alto padrão em Moscou é medida por seu tamanho: graças ao status de “uma as cidades mais caras do mundo”, ter uma propriedade de grande tamanho na capital russa é símbolo de boa posição social. Além das áreas centrais, a parte mais moderna da cidade atrai muitos compradores estrangeiros, com apartamentos e coberturas impecáveis. Nas áreas afastadas do centro, as vilas de luxo são excelentes alternativas para quem busca sofisticação e muito espaço.

 

  1. Genebra, Suíça

A região do Lago de Genebra é um dos pontos mais belos e procurados dessa cidade, entre vinhedos e montanhas, com vista para exuberantes paisagens naturais. O valor médio das propriedades é de aproximadamente 24 mil dólares por metro quadrado.

A Suíça é conhecida por sua excepcional qualidade de vida, estabilidade política e econômica, além da localização privilegiada no centro da Europa. Sua população é cosmopolita e possui estatísticas excelentes de educação. Entre os destinos mais cobiçados do país, Genebra se destaca como o mais apreciado por consumidores de alto padrão, tendo recebido o apelido de “cidade global”.

 

  1. Xangai, China

Também conhecida como a “pérola do oriente”, Xangai é a maior cidade da China e o verdadeiro centro econômico da Ásia. Com milênios de história e enorme importância comercial para o mercado asiático ao longo dos séculos, recebeu um recente boom de investidores e bancos estrangeiros, fazendo com que o preço médio do metro quadrado dos imóveis se estabelecesse entre 18 e 23 mil dólares.

Com foco na modernidade e globalização, a cidade parece saída de um filme de ficção científica. Xangai possui 17 distritos, cada qual com sua própria identidade. Também conta com diversas casas luxuosas e vilas em estilo barroco, gótico e renascentista, às margens do Rio Huangpu. A alta tecnologia é outro atrativo nas propriedades de luxo. Para compradores que se preocupam com a barreira do idioma, o inglês é uma língua amplamente falada na região.

 

  1. Cingapura

O preço por metro quadrado em Cingapura, a cidade-país mais rica do sudoeste da Ásia, varia entre 20 e 25 mil dólares. A ilha tem um mercado imobiliário em desenvolvimento, já que possui a segunda maior densidade demográfica do mundo. Atualmente, os imóveis de luxo são procurados principalmente por investidores chineses e indianos.

Com mais de 50% de seu território coberto por vegetação, Cingapura recebeu o título de “cidade mais verde do mundo”. O rápido crescimento econômico da região estimulou investidores do segmento imobiliário, tanto para a construção de empreendimentos comerciais (shoppings, hotéis, centros de eventos), como residenciais.

 

  1. Los Angeles, Estados Unidos

Aproximadamente dois terços das propriedades norte-americanas com valor médio de 1 milhão de dólares estão situadas no estado da Califórnia. A cidade de Los Angeles, particularmente, é conhecida pelas luxuosas mansões de astros de Hollywood.

Em Beverly Hills, há propriedades que chegam a ser comercializadas por até 1 bilhão de dólares.  Com o metro quadrado ao valor médio de 17 mil dólares, as opções no alto padrão vão desde casas de praia com vista para o mar até verdadeiras maravilhas arquitetônicas no topo de colinas, ocupando enormes extensões de terreno.

O que impressiona é o número de propriedades de alto luxo na área, grande parte delas custando mais de 250 milhões de dólares. A cidade é um oásis para investidores, que escolhem comprar seus imóveis na Califórnia devido ao clima sempre ameno e ensolarado, além da proximidade ao glamour da indústria cinematográfica.

 

As cidades mais caras do Brasil

O Rio de Janeiro é a cidade brasileira que possui os imóveis residenciais mais valorizados, com o metro quadrado em torno de 10 mil reais. Em um espaço de poucos quilômetros, entre os bairros de Ipanema e Leblon, estão localizados sete dos dez imóveis mais caros do país. No Leblon, por exemplo, é muito difícil encontrar imóveis com metro quadrado abaixo de 20 mil reais.

Em segundo lugar está São Paulo, com uma média de 8,6 mil reais por metro quadrado (acima da média nacional, que é de 7,6 mil). Outras capitais onde a valorização imobiliária tem crescido são Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre e Florianópolis, com preços relativamente mais altos do que os praticados em outros estados brasileiros, nesse segmento.

A zona sul de São Paulo é a área mais cara da cidade. Para casas, a região dos Jardins é a que mais vale, atualmente – o metro quadrado do terreno varia de 6 a 12 mil reais (em alguns casos, chegando a 15 mil reais). Isso porque a região é toda tombada, extremamente arborizada, e não se pode mais construir prédios.

No caso de apartamentos, ou seja, terrenos para incorporação, a Vila Nova Conceição e o Itaim disputam como os bairros mais procurados da capital paulista, com valores entre 13 e 16 mil reais por metro quadrado.

 

Spread the love