Arquitetura e Decoração

O charme dos tijolos aparentes

Como elemento funcional ou decorativo, o tijolinho é uma tendência que está sempre em alta na arquitetura

 

O tijolo é um material que não parece sair de voga nunca. Na arquitetura contemporânea, tem lugar cativo em projetos que buscam personalidade, com um aconchego rústico, mas ao mesmo tempo sofisticado. Sua história certamente é longa: os tijolos têm sido usados em construções humanas há milhares de anos. A invenção se deu por volta do ano 7.000 A.C., na região da Turquia – ou seja, trata-se de um dos materiais construtivos mais antigos utilizados pelo homem.

 

Site arqueológico de Ostia Antica, a sudoeste de Roma

Os primeiros tijolos eram feitos de barro e secados ao sol. No Egito, a argila era misturada também com palha. A maior descoberta, no entanto, ocorreu por volta de 3.500 A.C., quando os romanos desenvolveram a técnica de finalizar os tijolos no fogo – o que facilitava sua produção, já que não se dependia mais das condições climáticas para fazê-los. A Grande Muralha da China (ano 210 A.C.), por exemplo, foi construída com um misto de tijolos secados ao sol e no fogo.O Império Romano foi o principal responsável por disseminar pela Europa a produção de tijolos no fogo, uma técnica que continuou sendo muito utilizada na Idade Média e no Renascimento, principalmente na Itália. No período medieval, a argila era amassada pelos trabalhadores com os pés, depois colocada em uma forma de madeira forrada com areia ou palha. Com esse material tão versátil, foram construídos muros, castelos, fortes, arcos, estruturas para aquedutos e todo tipo de projeto arquitetônico.

 

Na Inglaterra, após o Grande Incêndio de Londres, em 1666, a cidade foi quase totalmente reconstruída com tijolos (de coloração avermelhada). Já nas Américas, há indícios de que civilizações muito antigas, como os astecas, já utilizavam tijolos feitos de barro muitos séculos antes de os europeus chegarem ao continente.

Nos períodos renascentista e barroco, o estilo de tijolos aparentes se tornou menos popular na arquitetura e as paredes passaram a ser cobertas com gesso ou argamassa. Foi apenas no século XVIII que os chamados “tijolinhos à vista” recuperaram sua popularidade.

Até o século XIX, os tijolos eram feitos à mão. A Revolução Industrial fez surgirem maquinários que aumentaram o número de unidades que poderiam ser produzidas ao mesmo tempo, de 36 mil por semana para 12 mil por dia. Com os avanços da indústria, naquela época eram produzidos nos Estados Unidos mais de 10 bilhões de tijolos por ano, fazendo nascer grandes metrópoles que utilizavam amplamente esse material, como Boston e Nova York. Para a construção de um arranha-céu como o Empire State Building, por exemplo, teriam sido empregados aproximadamente 10 milhões de tijolos.

 

 

Tijolos na arquitetura contemporânea

Nos dias de hoje, tijolos e madeira são os materiais mais utilizados na construção de casas e edifícios. Em muitos casos, eles servem apenas como base e não aparecem no resultado final do projeto arquitetônico, sendo vistos apenas quando a obra ainda está em construção. No entanto, a escolha estética de manter os tijolos expostos, ao invés de cobri-los com argamassa e tinta, pode ser uma forma de trazer características como aconchego e charme para um ambiente. Já em fachadas externas, esse elemento acrescenta dimensão e textura à arquitetura.

 

No interior de uma casa, tijolos à mostra criam um ambiente ao mesmo tempo rústico e agradável

 

Na fachada externa, os tijolos acrescentam textura e dimensão ao projeto arquitetônico

 

Uma parede de tijolos expostos não precisa estar necessariamente em evidência para transformar um ambiente. Ela pode ser utilizada como um detalhe que agrega estilo e traz um clima rústico para dentro de casa – podendo ser ainda coberta por obras de arte ou plantas, como trepadeiras.

 

A parede de tijolos, ao fundo, complementa a rusticidade do ambiente, integrando interior e exterior

 

Paredes de tijolos têm um aspecto rústico, mas também são muito utilizadas em projetos modernos

 

Cuidados com tijolos aparentes

Ao optar pelos tijolos aparentes, alguns cuidados são necessários para garantir sua durabilidade.

Argamassa – É preciso escolher uma boa argamassa, para garantir que os tijolos permaneçam bonitos e bem alinhados por um longo período de tempo.

Mão de obra – Profissionais especializados (tanto no que diz respeito ao projeto quanto à execução) podem garantir um resultado de qualidade, assim como sua manutenção.

Limpeza – Devem ser utilizados produtos neutros para limpar as paredes com tijolos aparentes. Além disso, não é recomendado que esse tipo de material seja exposto em locais próximos à cozinha, onde resíduos como óleo podem prejudicá-lo ou manchá-lo.

Impermeabilização – Como se trata de uma superfície porosa, muitas vezes exposta à ação do tempo (especialmente em ambientes externos ou fachadas), o tijolo absorve mais facilmente a umidade e a sujeira. Por isso, é preciso utilizar produtos impermeabilizantes, que evitarão a formação de mofos, manchas ou infiltrações.

 

Fachadas de tijolos à vista devem ser impermeabilizadas, para que o material não se desgaste

 

É importante também observar os elementos que serão colocados junto às paredes de tijolos à mostra. Tanto em áreas externas quanto internas, os elementos arquitetônicos e decorativos precisam combinar com o estilo dos tijolinhos. Em fachadas ou paredes exteriores, madeiras, rochas, estruturas metálicas e plantas são bons acompanhamentos. O mesmo vale para os interiores, que ganham conforto com pisos em madeira. Já para os móveis e objetos de decoração, cores neutras ou voltadas para paletas mais “quentes” combinam bem com tijolos.

 

Neste terraço, o deck de madeira complementa a parede de tijolos expostos

 

O design de interiores traz um toque de contemporaneidade a ambientes com tijolos aparentes

 

Spread the love